Encontro Luso-Brasileiro de Contabilidade debateu a profissão entre os países de língua portuguesa


 

O evento realizado pela Fundação Brasileira de Contabilidade, reuniu cerca de 200 participantes. Paralelamente aconteceu o 15° Fórum da Mulher Contabilista do estado da Bahia.


A Bahia foi sede da sétima edição do evento internacional, que foi criado com objetivo de ampliar o debate sobre as experiências da profissão contábil entre os países de língua portuguesa. A primeira edição foi realizada em 2010 em Florianópolis, em 2011 o evento cruzou o Atlântico e Lisboa sediou o Luso. Em 2012  os debates aconteceram em São Luiz do Maranhão, em 2013 em Coimbra, 2014 em Campina Grande e em 2015 em Évora, Portugal.

A Fundação Brasileira de Contabilidade foi a realizadora do  evento e contou com o apoio das entidades:  Conselho Federal de Contabilidade, Academia Baiana de Contabilidade, Conselho Regional de Contabilidade da Bahia e  Ordem dos Contabilistas Certificados de Portugal. Na abertura do evento na sexta-feira, 31 de março, na Casa do Comércio em Salvador, representantes das entidades promotoras destacaram a importância do evento internacional, que nesta edição trouxe como tema: "A contabilidade como instrumento de gestão nos negócios Luso-Brasileiro".

O presidente do CRC-BA, Antonio Carlos Nogueira, destacou em seu discurso de boas vindas, a importância da troca de experiências. O presidente da Academia Baiana de Ciências Contábeis, Adeildo Osório de Oliveira, exaltou a importância a da realização do evento internacional em paralelo com o evento das mulheres contabilistas. Já o presidente do Instituto Brasileiro dos Auditores Independentes, Idésio Coelho,  falou sobre  a importância da união entre os países, na longa trajetória de lutas e desafios, visando a melhoria da profissão.

Maria Constança Carneiro Galvão, coordenadora estadual do Projeto Mulher Contabilista,  fez uma homenagem especial às mulheres, no mês dedicado à elas,  e comentou que cada vez mais a presença é maior das mulheres na profissão. O  representante da Ordem de Contas Certificadas de Portugal, José Carlos Cardoso Marques, se emocionou durante seu pronunciamento, ao lembrar da trajetória do bastonário, Antonio Domingues Azevedo, falecido no ano passado. O Bastonário foi um dos fundadores do evento Luso-Brasileiro. A presidente da  Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON), Maria Clara Cavalcante Bugarim, também destacou o trabalho realizado por Domingues Azevedo e garantiu que o trabalho iniciado por ele continuará, tendo como foco a expansão das fronteiras da profissão.

O presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), Juarez Domingues Carneiro, lembrou de todo o caminho percorrido até aqui entre os dois países, em defesa da profissão. Destacou que as ideias se transformaram em projetos, ações e conquistas. "Nosso relacionamento está em estágio avançado, criamos um evento Luso-Brasileiro, permitindo a troca de conhecimento. Chegamos à sétima edição, com as relações aprimoradas, nosso evento foi constituído sob uma base sólida", pontuou.

O presidente do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), José Martônio, destacou que estas relações entre Brasil e Portugal tem rendido grandes parcerias, criando um forte vínculo valorizando ainda mais a profissão.

 

HOMENAGEM AO BASTONÁRIO

 

Durante a solenidade de abertura foi realizada uma homenagem póstuma ao bastonário Antonio Domingues de Azevedo, promovida pelas entidades FBC, CFC  e ABRACICON. O Bastonário  é considerado o maior líder da classe contábil portuguesa. Foi o criador e o primeiro Presidente da Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas de Portugal, Ordem Oficiais de Contas, e da Ordem dos Contabilistas Certificados. Iniciou a partir do ano 2006, uma sólida parceria com o Conselho Federal de Contabilidade, onde cultivou uma relação de amizade com os presidentes,  Juarez Domingues Carneiro, Maria Clara e José Martônio. Nesse período foram construídos diversos projetos e eventos entre Brasil e Portugal. Considerado um visionário, Antonio Domingues de Azevedo dedicou-se em construir e solidificar a imagem da profissão. Em 2009, levou a profissão ao patamar máximo, conferindo à Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas credibilidade nacional e internacional. O Presidente da FBC, Juarez Carneiro e do CFC, José Martônio Coelho entregarem uma placa à portuguesa, Leonor Fernandes Ferreira, que veio ao Brasil para receber a homenagem em nome da família do Bastonário. Durante a homenagem foi exibido um vídeo apresentando alguns dos vários momentos vivenciados pelos bastonário no Brasil. (Assista vídeo clicando aqui).

 

Na sequência do evento foi entregue pela primeira vez, a Medalha Mérito Contábil Antonio Domingues de Azevedo, promovida pela ABRACICON, à portuguesa Lucia Lima Rodrigues,  Doutora em Contabilidade pela Universidade do Minho, Mestre e Licenciada em Economia pela Universidade do Porto,  é Professora Associada com Agregação, com longa experiência de ensino. Autora de capítulos e livros em diferentes temas, a professora Lúcia tem publicado artigos em diversas revistas científicas internacionais de topo na área da Contabilidade e Gestão, sendo autora e coautora de mais de 50 artigos publicados em revistas científicas internacionais. Ocupa também o cargo de Presidente do Conselho Editorial da revista científica Contabilidade e Gestão da Ordem dos Contabilistas Certificados, além de ser a Presidente do Colégio de Contabilidade Financeira e da Comissão de História da Contabilidade da OCC. A eleição da personalidade homenageada será sempre realizada pelos acadêmicos da Academia Brasileira de Ciências Contábeis, em semestre anterior à data fixada para a realização do Encontro Luso-Brasileiro de Contabilidade.

 

A palestra Magna na abertura do evento, teve a participação da presidente da ABRACICON, Maria Clara Cavalcante Bugarim, que falou sobre o "Exercício da Cidadania e o Combate à Corrupção". Segundo Maria Clara, este é o grande desafio da atualidade, "a corrupção precisa ser enfrentada, o cidadão precisa se empoderar,  precisamos também aumentar os controles e transparência só desta forma conseguiremos virar o jogo contra corrupção", destacou. O controle social e a transparência também foram  apontados pela palestrante como caminhos para a melhoria da gestão pública. "A cultura precisa ser mudada, o sigilo tem que ser compreendido com exceção e não regra", concluiu.

 

INCLUSÃO DAS MULHERES NO MERCADO DE TRABALHO FOI TEMA DE DESTAQUE NO LUSO


O sócio-líder de auditoria, membro do Comitê Executivo da KPMG, Charles Krieck, levou para o debate o tema: HeForShe, que é um movimento criado pela ONU MULHERES, com objetivo de reduzir as barreiras sociais e culturais que impedem as mulheres de atingir o seu potencial. Ao mesmo tempo o movimento auxilia homens e mulheres a buscarem juntos o modelo de uma nova sociedade. A KPMG, é membro do comitê Nacional para impulsionar o movimento. Segundo Krieck, os números demonstram que esta realidade precisa mudar. No Brasil apenas 3% dos cargos de CEO e 7% das posições em Conselhos de Administração são ocupados por mulheres. Nos EUA, também não é diferente. Há mais CEOs com o nome John do que os CEOs sob comando das mulheres. Com relação aos profissionais de contabilidade registrados nos 27 CRCs no país, hoje as mulheres representam 42,92% do número de profissionais, os homens são maioria, 57,08%.

Krieck, também destacou a importância da mudança desta realidade, pois "todos ganham com a equidade dos gêneros, precisamos ampliar as possibilidades de realização profissional, devemos promover menor injustiça por desigualdade de oportunidade e tratamento, além de possibilitar a independência financeira", completou. Ao finalizar o sócio-proprietário da KPMG, fez um apelo para que os participantes do Luso-Brasileiro participem da campanha através do Manifesto Público, acessando a página: www.heforshe.org/pt O presidente da FBC, Juarez Domingues Carneiro, que coordenou o debate, disse que este manifesto é um alerta para as empresas e organizações e para toda a sociedade. "A classe da contabilidade apoia este movimento de forma abrangente", destacou.

 

Na sequência do evento, a presidente do Conselho da Mulher Empresária da Associação Comercial da Bahia, Rosemma Maluf, abordou o tema "A Mulher no Mundo dos Negócios". Rosemma falou sobre as dificuldades que as mulheres enfrentam, como a dupla jornada,  além de outros desafios. A palestrante  mostrou o caminho, "para alcançarmos o protagonismo na sociedade, precisamos investir em dois pontos fundamentais: edução e independência financeira. O empoderamento só acontece quando estas duas situações são deflagradas", concluiu. Rosemma Maluf falou  também sobre a experiência dela como primeira mulher a assumir a secretaria de Ordem Pública de Salvador. Cargo que ocupou por 4 anos. Tendo como atribuições, a coordenação de grandes eventos como Carnaval, além do cuidado com a iluminação pública, limpeza pública, guarda municipal entre outros.

 

DESAFIOS DO MERCADO DE TRABALHO, EDUCAÇÃO E NORMAS TÉCNICAS ENTRE OS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

 

O presidente do Instituto de dos Auditores Independentes do Brasil, Idésio da Silva Coelho Jr. trouxe para o debate: "A importância da Auditoria como fator de Proteção à Sociedade". Idésio Coelho Jr. em sua apresentação, demonstrou as contribuições do segmento para um mundo mais ético, transparente e principalmente eficiente. "Queremos uma melhor utilização dos recursos públicos e que as relações entre público e privado também sejam moralizadas, por isso a importância da auditoria, que tem como princípio servir a comunidade e aumentar ainda mais a credibilidade das demonstrações contábeis", pontuou.  Para o presidente do IBRACON, a auditoria também contribui na Governança apontando propostas de melhoria para os administradores. "O auditor não pode promover alterações, mas pode contribuir com a melhoria da capacitação dos auditados", completou Idésio.

A educação Profissional Continuada no Brasil e Portugal também esteve em debate no do evento Luso-brasileiro. Um dos palestrantes foi Nelson Zafra, vice-presidente de Desenvolvimento profissional do CFC. Zafra, apresentou um panorama sobre as Ciências Contábeis no país, hoje são oferecidos, 1.274  cursos de graduação. Contadores registrados são 530 mil. No sistema contábil brasileiro hoje há participação de 43% de mulheres e 57% de homens.  Uma das ações de destaque do sistema é ampliar ainda mais a Educação Continuada para profissionais no mercado. A Membro da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), Leonor Fernandes Ferreira, também fez uma abordagem geral sobre a realidade a Educação Profissional Continuada em Portugal. Destacando que a atualização na profissão é um pilares da educação, "são instrumentos indispensáveis", destacou.


Mercado de Trabalho X Normas Internacionais Públicas e Privadas, foi outro tema em destaque. Participaram como palestrantes a conselheira do CFC, Gardênia Maria Braga Carvalho, e o diretor da OCC, Artur Maria da Silva. Gardênia, destacou em sua participação que a adoção de padrões internacionais de normas tem como principais pontos positivos a transparência nas informações prestadas para investidores e profissionais.  "Há uma expressiva melhoria na tomada de decisão, os riscos são reduzidos, há um nivelamento, na comparabilidade das informações, com isso as decisões são tomadas de forma correta", detalhou. Uma pesquisa demostra que 52% das empresas que operam na bolsas de valores utilizam as normas IFRS, ou seja "os relatórios emitidos por empresas brasileiras atingiram um público maior de investidores e interessados nas informações contábeis".


O tema de encerramento da sétima edição do evento Luso-Brasileiro foi sobre a participação da mulher profissional da contabilidade no Brasil e em Portugal. As palestrantes convidadas foram Márcia Alcazar, vice-presidente de Administração e Finanças do CRCSP e a portuguesa Claudia Isabel Afonso dos Santos diretora da OCC. Márcia Alcazar,  abordou a importância de fazer o resgate sobre o significado  do Dia Internacional da Mulher, "ainda precisamos falar sobre as diferenças para evoluírmos com relação à igualdade de gêneros". A portuguesa Claudia dos Santos, também discorreu sobre os desafios da presença feminina em cargos representativos, também em minoria em países da Europa. E falou sobre sua experiência e os desafios de conciliar o papel de mãe e profissional. Para ambas as palestrantes, eventos como o Luso-brasileiro realizado em Salvador, servem para ampliar as fronteiras do debate sobre a participação feminina, "estamos avançando, precisamos sempre colocar em pauta este tema, para colhermos resultados sobre a igualdade de gêneros. O ganho é para toda a sociedade", concluíram.

 

 

A próxima edição do evento Luso-Brasileiro deverá ser realizada em 2018.

 

GALERIA DE FOTOS DO EVENTO LUSO-BRASILEIRO |  SALVADOR - BAHIA - clique aqui ( parte 1 |  parte 2 parte 3 | parte 4 | parte 5 )

ACESSE CONTEÚDO DAS PALESTRAS DO LUSO-BRASILEIRO | SALVADOR BAHIA - clique aqui)

ACESSE OS CERTIFICADOS DO LUSO-BRASILEIRO | SALVADOR BAHIA - clique aqui)